Mensagem Arcebispo – Janeiro 2016

Iniciamos um novo ano para avançarmos no caminho da santidade de vida, do seguimento de Jesus Cristo e da evangelização.

Neste ano,  pastores  e  fiéis, somos chamados a trabalhar as cinco urgências da ação evangelizadora, em nossas comunidades. A 14ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral apresentou algumas perspectivas de ação para cada uma das urgências. Temos nas mãos as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Ribeirão Preto (2015-2019), um instrumento válido para avançarmos, com alegria, entusiasmo e dedicação, em nossa ação evangelizadora. Precisamos ser evangelizadores com espírito, como insiste o Papa Francisco. “Evangelizadores com espírito quer dizer evangelizadores que rezam e trabalham” (Evangelii Gaudium, 262).

Neste ano temos a graça de viver o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, de viver as riquezas de um Ano Santo. O Papa Francisco nos ensina: “precisamos sempre contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado” (Misericordiae Vultus, 2). Somos chamados “a fixar o olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai” (Misericordiae Vultus, 3). Tornamo-nos sinal eficaz do agir do Pai quando praticamos as obras de misericórdia. O Papa nos convida: “redescubramos as obras de misericórdia corporal: dar de comer aos famintos, dar de beber a quem tem sede, vestir os nus, acolher o estrangeiro, assistir aos doentes, visitar os presos, sepultar os mortos. E não nos esqueçamos das obras de misericórdia espiritual: aconselhar os duvidosos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as injustiças, rezar a Deus pelos vivos e pelos mortos” (Misericordiae Vultus, 15b).

O Ano Santo coloca à nossa disposição muitos meios para crescermos na santidade de vida: o Sacramento da Reconciliação, o encontro com a misericórdia, a indulgência jubilar, a reflexão sobre a misericórdia, a Eucaristia, a oração, a prática das obras de misericórdia… Aproveitemos a riqueza de graças que o Senhor misericordioso nos concede ao longo deste tempo especial.

Neste ano teremos a Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) com o tema: “Casa comum, nossa responsabilidade” e o lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). Esta Campanha visa assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e nos convida a empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum (cf. Texto-base, 7). Para preparar esta Campanha em nossa Arquidiocese, a Coordenação realiza a capacitação para os representantes de todas as paróquias, no dia 9 de janeiro; este será um momento importante para a CFE 2016 em nossa Arquidiocese.

Também neste ano, a Igreja no Brasil viverá um grande acontecimento: o XVII Congresso Eucarístico Nacional, de 15 a 21 de agosto, em Belém (PA). O tema será: “Eucaristia e partilha na Amazônia missionária” e o lema: “Eles o reconheceram no partir do Pão” (cf. Lc 24,35). Afirma o Arcebispo de Belém: “queremos viver juntos o Congresso para que se realize mais uma vez, aqui em Belém, Portal da Amazônia, o que acontece na Igreja desde seus albores: ‘eles o reconheceram no partir do pão’” (Texto-base, p. 14).

Por fim, no dia 13 de novembro, unidos a todas as Dioceses do mundo, às 15h, na Catedral Metropolitana, encerraremos o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, com os “sentimentos de gratidão e agradecimento à Santíssima Trindade por nos ter concedido este tempo extraordinário de graça” (Papa Francisco, Misericordiae Vultus, 5).

 

Dom Moacir Silva
Arcebispo Metropolitano

 

Diretrizes da Ação Evangelizadora 2015-2019

“EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo”.

 

1ª URGÊNCIA: Igreja em estado permanente de missão

“Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo!” (Mc 16,15)

 

2ª URGÊNCIA: Igreja, casa da iniciação cristã

“Paulo e Silas anunciaram a Palavra do Senhor ao carcereiro e a todos os da sua casa. E, imediatamente, foi batizado, junto com todos os seus familiares” (At 16, 32ss.)

 

3ª URGÊNCIA: Igreja, lugar de animação bíblica da vida e da pastoral

“Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça” (2Tm 3,16)

 

4ª URGÊNCIA: Igreja, comunidade de comunidades

“Sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio uma nação santa um povo adquirido para Deus” (1 Pd 2,9)

 

5ª URGÊNCIA: Igreja a serviço da vida plena para todos

“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10)