9º Fascículo

9º Fascículo – Outubro de 2014

           f9

Neste fascículo trataremos, ainda, sobre a possibilidade da paróquia se tornar sede de bispado, no inicio do século XX.

 

Todos os dados foram extraídos da tese de doutorado da prof. Dra. Nainora Maria Barbosa de Freitas, a quem muito agradecemos.

 

 Rumo ao Bicentenário 1815 – 2015

Batatais era para ser sede de Bispado

 

No inicio do século XX, a disputa pela divisão do bispado de São Paulo em várias dioceses foi grande. O rápido desenvolvimento econômico, demográfico, social da região contribuiu para o aumento das necessidades da presença constante de um bispo, que em razão do tamanho da diocese, um bispo só, não conseguia cumprir com suas obrigações de pastor, no tocante às visitas pastorais às paróquias do interior e a vigilância do clero.

 

O começo deste movimento em prol da criação de uma diocese no interior do Estado teve inicio do governo diocesano de Dom Joaquim Arcoverde, que morreu antes de dar andamento às discussões. O seu sucessor foi Dom José de Camargo Barros, motivo do nosso artigo, que deu andamento às discussões e projetos de criação das novas dioceses. Dom José a principio, foi contrário à divisão da diocese por causa dos poucos recursos que as cidades apresentavam para sustentar o bispo, porém, acabou aceitando.

 

Campinas e Batatais foram as primeiras a enviarem o projeto à Secretaria de Estado do Vaticano e ao Papa Pio X, hoje santo, iniciando, assim uma disputa entre as duas cidades, pois, cada uma ressaltava seus aspectos positivos para receber a benesse de ser sede de uma nova diocese no interior de São Paulo. À frente da cidade de Batatais estava o pároco, Pe. Lafayety de Godoy, que aqui chegou no dia 14 de março de 1991 e permaneceu até 14 de março de1909 este muito fez por Batatais, porém, dele falaremos em outra ocasião.

 

Durante uma reunião dos bispos da Província Meridional, em 1904, no Santuário de Aparecida, os bispos escolheram Botucatu para ser a nova sede de bispado no interior de São Paulo. Os bispos enviaram uma carta ao núncio apostólico comunicando a decisão do grupo.

 

No entanto, os padres de Campinas e Batatais, não desistiram e continuaram a campanha para ser sede de diocese.

 

Dom José de Camargo Barros encaminhou-se para Roma para uma visita “ad limina” e para apresentar as propostas das cidades candidatas: Campinas, Botucatu e Batatais. A Santa Sé exigia um patrimônio para cada cidade, a fim de garantir uma existência digna para o bispo. Batatais apresentou o patrimônio material e espiritual exigido, inclusive o montante financeiro, que seria do próprio padre Lafayety, pois ele era de uma rica família de latifundiários. Ele se propôs em arcar com todas as despesas.

 

A Secretaria de Estado do Vaticano deu um parecer favorável para os preparativos de divisão do território de São Paulo em três dioceses: Campinas, Batatais e Botucatu. No entanto, no retorno de Roma, com os pedidos das cidades, Dom José morreu no Naufrágio, próximo à Espanha. Com a morte de Dom José, tudo mudou e levou muitas pessoas a desistirem do Sonho das novas dioceses, pois o Vaticano ainda não havia concretizado o projeto, ou seja, tinha apenas dado o aval para dar continuidade aos preparatórios de uma possível sede de bispado.

 

Depois da morte de Dom José em 04 de agosto de 1906 até a posse de seu sucessor Dom Duarte Leopoldo e Silva em 14 de abril de 1907 a discussão sobre a criação de novas dioceses continuou a ser feitas nos bastidores da igreja. A disputa entre as cidades foi grande. Somente quando Dom Duarte assumiu o governo da diocese é que toda a situação foi resolvida e tomou novos rumos. Ele deu início aos trabalhos para a elaboração de um amplo projeto que resultou na criação da Província Eclesiástica de São Paulo, tendo por base o projeto de Dom José de Camargo Barros, que fora seu bispo. No novo projeto de Dom Duarte Leopoldo e Silva o nome de Batatais desapareceu por completo e surgiu o de Ribeirão Preto que acabou sendo escolhida e decretada sede de Bispado em 07 de junho de 1908.

 

No fascículo oito falamos de Dom José de Camargo Barros, o bispo que aceitou fazer de Batatais uma sede de bispado e que morreu antes de concretizar o projeto, neste fascículo contaremos, resumidamente, um pouco desse projeto.

 

Todas as informações deste artigo foram extraídas da tese de doutorado da Dra. Nainôra Maria Barbosa de Freitas, Franca 2006, a quem agradeço imensamente.

Bom Jesus da Cana Verde padroeiro de Batatais